DE REGRESSO À FIGURAÇÃO. A AZULEJARIA PORTUGUESA DO PRINCÍPIO DO SÉCULO XX

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Resumo

À procura de um nome para uma nova estética… foi com este desafio que Tiago Borges Lourenço começou, e terminou, o AzLab#50, dedicado à azulejaria portuguesa na transição para o século XX. Ao longo de cerca de uma hora, o investigador contextualizou a pintura de azulejos da época, descrevendo as suas principais características, tanto ao nível da paleta cromática como dos temas representados, destacando, como não poderia deixar de ser, os pintores Pereira Cão e Jorge Colaço. Mas Tiago Borges Lourenço insistiu, sobretudo, numa visão global sobre a azulejaria da época, mostrando toda a sua imensa diversidade, que tão difícil torna atribuir-lhe uma designação.

Se o surgimento desta nova estética foi gradual, impondo-se na década de 1930, período a que remonta a grande maioria dos revestimentos, o seu desaparecimento foi muito mais abrupto e, no início dos anos de 1940 desaparecem as encomendas de grandes programas azulejares: o Estado Novo não defendia este género de produção cerâmica e António Ferro impulsionou o azulejo numa nova direcção, passando o caminho a ser outro.

A sessão terminou com Tiago Borges Lourenço a referir-se à distância que hoje a historiografia começa a manifestar em relação a este período, e que, esperamos, possa abrir caminho para a compreensão de uma época com um lado programático muito rico e que vale a pena compreender. Muito embora nenhuma das sugestões de designações tenha vingado, no debate que se seguiu abordou-se também os processos de trabalho dos pintores e a actividade de outros menos conhecidos.

____________________________________________________

THE RETURN TO FIGURATION. THE PORTUGUESE AZULEJOS OF THE BEGINNING OF THE 20TH CENTURY


Session overview

Searching for a name for a new aesthetic … it was with this challenge that Tiago Borges Lourenço began, and finished, AzLab#50, dedicated to Portuguese azulejos (tiles) in the transition to the 20th century. Over the course of an hour, the researcher contextualized the azulejo painting of the time, describing their main characteristics, both in terms of the color palette and the themes represented, highlighting the painters Pereira Cão and Jorge Colaço. But Tiago Borges Lourenço insisted, above all, on a global vision of the azulejos, showing all its immense diversity, the reason for the difficulty in assigning them a designation.

If the appearance of this new aesthetic was gradual, imposing itself in the 1930s, a period that dates back to the coverings great majority, its disappearance was much more abrupt and, in the early 1940s, the commissions of great azulejo programmes disappear: the Estado Novo did not defend this type of ceramic production and António Ferro pushed the azulejo in a new direction, and changing its path.

The session ended with Tiago Borges Lourenço referring to the distance that today historiography begins to manifest in relation to this period, and which, hopefully, can open the way to the understanding of a time with a very rich programmatic side that is worth to comprehend. Although none of the suggestions for designations has succeeded, the discussion that followed also dealt with the work processes of painters and the work of others less known.

DE REGRESSO À FIGURAÇÃO. A AZULEJARIA PORTUGUESA DO PRINCÍPIO DO SÉCULO XX

5 de Junho ​​de​ ​2019 ​|​ ​18h00​ ​|​ Faculdade​ ​de​ ​Letras​ ​da​ ​Universidade​ ​de​ ​Lisboa |​ ​sala 5.2

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Convidado:
Tiago Borges Lourenço [IHA-FCSH / NOVA]

Mestre em História da Arte pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa com a dissertação “Postais Azulejados: Decoração Azulejar Figurativa nas Estações Ferroviárias Portuguesas” (Prémio SOS Azulejo 2014 – “Dissertação de Mestrado – História da Arte”).  A sua atividade como investigador tem-se maioritariamente desenvolvido nas áreas da azulejaria, arquitetura e urbanismo de Lisboa do século XIX e início do século XX. É atualmente bolseiro de doutoramento (História da Arte – FCSH/UNL) da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (SFRH/BD/110343/2015).

____________________________________________________

THE RETURN TO FIGURATION. THE PORTUGUESE AZULEJOS OF THE BEGINNING OF THE 20TH CENTURY


June 5th, 2019,
2019 | 18h00 | School of Arts and Humanities of the University of Lisbon | room 5.2

Invited speaker:
Tiago Borges Lourenço [IHA-FCSH / NOVA]

Master degree in History of Art from the NOVA School of Social Sciences and Humanities  of the Universidade NOVA de Lisboa with the dissertation “Postais Azulejados: Decoração Azulejar Figurativa nas Estações Ferroviárias Portuguesas”  (Project SOS Azulejo 2014 Master dissertation – History of Art award). His activity as a researcher has been mainly in the areas of  azulejo, architecture and urbanism of 19th century Lisbon, and also of the first half of the 20th century. Currently, he holds a PhD Scholarship  (Art History – FCSH/UNL) from the Foundation for Science and Technology (SFRH/BD/110343/2015).

TURISMO CRIATIVO: CONHECER TERRITÓRIOS COM FOCO NAS EXPERIÊNCIAS


[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Resumo

Depois de uma breve apresentação do AzLabOvar por Gil Godinho, a moderadora desta segunda sessão, Tânia Guimarães, lançou o tema “Turismo Criativo”, estabelecendo a sua relação com algumas iniciativas já implementadas pelo município de Ovar, no que diz respeito à valorização e divulgação do património azulejar através da oferta de atividades que envolvem os visitantes e turistas num processo criativo e de maior proximidade com o património da cidade.

A CREATOUR, um projeto do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, representado por Sílvia Silva e Tiago Castro, apresentou a sua rede de projetos de turismo criativo, na qual as entidades piloto assumem um papel de destaque, contribuindo activamente para o sucesso do projeto. As actividades promovidas, no âmbito do turismo criativo, são construídas com base nas tradições locais, aptidões, conhecimentos e práticas artísticas emergentes, ambicionado contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais em todo o país.

No seguimento desta apresentação, a CREATOUR, lançou o convite a duas entidades para partilharem as suas experiências e explicar as iniciativas que desenvolvem.

A sessão contou com a apresentação de dois projectos da rede CREATOUR: Caldas Creative Tourism e os tours Alter Egos de Bordallo, Viver Malhoa e Criação na Praça, representado por Mariana Calçada; e o projeto de investigação “Tile your Visit”, incluído na dissertação de mestrado de Ivana Stevic, e que agora continua na sua tese Doutoramento em Gestão e Planeamento em Turismo da Universidade de Aveiro.

No debate final incidiu sobretudo em questões relacionadas com os mecanismos de financiamento existentes e direcionados para agentes privados e associações culturais; e validação de conteúdos técnicos e científicos associados às experiências apresentadas e metodologias adotadas.

A sessão terminou com um workshop criativo promovido por um agente local, “Gaby a minha Casa”, que propôs a criação e pintura de um “azulejo” utilizando os ingredientes do Pão-de-Ló de Ovar. A ideia base constituiu na criação de um “cartão de visita” utilizando estes dois elementos, obtendo assim um azulejo de Pão-de-Ló!

[Vídeo da sessão disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Lw9PcuoQdN8&feature=youtu.be]

____________________________________________________

CREATIVE TOURISM: KNOWING TERRITORIES WITH A FOCUS ON EXPERIENCES


Session overview

After a brief presentation of AzLabOvar by Gil Godinho, the second session moderator, Tânia Guimarães, launched the theme “Creative Tourism”, establishing its relationship with some initiatives already implemented by the Ovar municipality, regarding the valorization and dissemination of the azulejo (tile) heritage through the offer of activities that involve visitors and tourists in a creative process and a greater proximity to the city’s heritage.

CREATOUR, a project of the Centre for Social Studies of the University of Coimbra, represented by Sílvia Silva and Tiago Castro, presented its network of creative tourism projects, in which the pilot entities play a leading role, contributing actively to the success of the project. The promoted activities in the field of creative tourism are built on local traditions, skills, knowledge and emerging artistic practices, aiming to contribute to the sustainable development of local communities throughout the country.

Following this presentation, CREATOUR launched an invitation to two entities to share their experiences and explain the initiatives they develop.

The session included the presentation of two CREATOUR projects: Caldas Creative Tourism and the tours Alter Egos de Bordallo, Viver Malhoa and Criação na Praça, represented by Mariana Calçada; and the research project “Tile your Visit”, included in Ivana Stevic’s master’s dissertation, and which now continues in her doctoral thesis in Management and Planning in Tourism of the University of Aveiro.

The final debate focused mainly on issues related to existing funding mechanisms directed to private agents and cultural associations; and validation of technical and scientific contents associated to the presented experiences and methodologies adopted.

The session ended with a creative workshop promoted by a local agent, “Gaby a minha Casa”, who proposed the creation and painting of a “azulejo” using the ingredients of the Ovar Pão-de-Ló (sponge cake). The idea was to create a “business card” using these two elements, thus obtaining an azulejo de Pão-de-Ló!

[Video available at: https://www.youtube.com/watch?v=Lw9PcuoQdN8&feature=youtu.be]

DE REGRESSO À FIGURAÇÃO. A AZULEJARIA PORTUGUESA DO PRINCÍPIO DO SÉCULO XX

5 de Junho ​​de​ ​2019 ​|​ ​18h00​ ​|​ Faculdade​ ​de​ ​Letras​ ​da​ ​Universidade​ ​de​ ​Lisboa |​ ​sala 5.2

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Na transição para o século XX o panorama azulejar português alterou-se uma vez mais. Surgiu então uma nova estética, caracterizada por um pleno regresso à figuração (com recurso a temáticas maioritariamente paisagistas, historicistas e etnográficas), paleta quase exclusivamente azul e branca e, em muitos casos, uma matriz revivalista que se refletiu na forma como as suas molduras se apropriam assumidamente de elementos do azulejo barroco e rocaille. Tal acontece no contexto de um recrudescimento da cerâmica de autor, em que o artista passa a ter uma importância que só muito raramente havia tido ao longo do século anterior.

Este “milagre do ressurgimento da pintura do azulejo” (como então chegou a ser apelidado) rapidamente se impôs e se multiplicou por todo o país (nomeadamente em programas para equipamentos públicos, de que se destacam as estações ferroviárias e os mercados), tornando-se numa das mais vincadas formas da identidade portuguesa na arte da primeira metade do século XX.

Convidado:
Tiago Borges Lourenço [IHA-FCSH / NOVA]

____________________________________________________

THE RETURN TO FIGURATION. THE PORTUGUESE AZULEJOS OF THE BEGINNING OF THE 20TH CENTURY

June 5th, 2019, 2019 | 18h00 | School of Arts and Humanities of the University of Lisbon | room 5.2

In the transition to the 20th century, the panorama of the Portuguese azulejo (tile) changed once again. A new aesthetic emerged, characterized by a full return to figuration (using mostly landscape, historicist and ethnographic themes), with a palette almost exclusively blue and white and, in many cases, a revivalist matrix that was reflected in the way its frames appropriately assumed elements of Baroque and rocaille tiles. This happens in the context of the author’s ceramics upsurge, in which the artist has an importance that he seldom had in the previous century.

This “miracle of the resurgence of tile painting” (as it was later dubbed) was rapidly imposed and multiplied throughout the country (notably in public equipment programs, such as railway stations and markets) is one of the most profound forms of Portuguese identity in the art of the first half of the 20th century.

Invited speaker:
Tiago Borges Lourenço [IHA-FCSH / NOVA]

OS AZULEJOS DA CIDADE UNIVERSITÁRIA DE COIMBRA

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Resumo

Mais do que uma descrição da Cidade Universitária de Coimbra, edificada entre 1941 e 1975, Nuno Rosmaninho procurou promover, neste AzLab#49, um espaço de reflexão sobre uma obra paradigmática do Estado Novo, discutindo vários conceitos e, sobretudo, trazendo a azulejaria para o centro de um debate sobre “o lugar do azulejo nos discursos artísticos e ideológicos do Estado Novo”.

Explicando o que entende por arquitectura “classicista monumental totalitária” e “arquitectura moderna”, e aplicando os conceitos a este complexo arquitectónico, sem deixar de se referir à recepção crítica da obra, Rosmaninho abordou depois as diversas artes da Cidade Universitária. Destacou o sentido global das mesmas, no âmbito de um programa bem definido e com objectivos muito específicos, expressos numa iconografia que assenta em eixos fundamentais como a consagração da Universidade e da pátria, a sua dimensão universal ou ainda a própria ideia de Coimbra. O azulejo, como parte integrante deste conjunto, mereceu especial importância, com Rosmaninho a mostrar de que modo se articula com a arquitectura, adequando-se, na sua dimensão plástica, pictórica e cromática, às especificidades dos locais para o qual foi concebido.

Prosseguindo depois numa via mais centrada na azulejaria, Nuno Rosmaninho estabeleceu duas tipologias: as obras concebidas especificamente para locais precisos dos novos edifícios e o recurso a réplicas de exemplares dos séculos XVII e XVIII, para preencher lacunas em revestimentos mais extensos, num exercício de preservação e valorização do azulejo antigo de que é exemplo o Colégio de São Bento.

As duas obras de João Abel Manta mereceram uma análise mais detalhada, destacando-se o facto de os edifícios da Associação Académica e Teatro Gil Vicente, projectados pelo próprio João Abel Manta (n. 1928) e por Alberto José Pessoa (1919-1985), terem sido criteriosamente pensados para receber o painel de azulejos alusivo às actividades culturais e os vários painéis que retratam a evolução do trajo académico. Se os edifícios revelam uma ruptura formal com a Cidade Universitária, assumindo o que Rosmaninho definiu com uma “infiltração moderna”, os azulejos constituem também eles uma ruptura, até pelos temas representados, contemporâneos ou evolutivos, em vez de parados no tempo como o restante imaginário – apontam para a frente, enquanto a Cidade Universitária aponta para trás.

Todavia, o painel relativo às actividades culturais, que causou surpresa e desagrado, foi rejeitado pelas entidades competentes com o argumento de que subtraía o impacto da escadaria monumental, sendo por isso aplicado no jardim em que hoje ainda se encontra. Nesta medida, Nuno Rosmaninho concluiu a sua apresentação lançando um tema para debate: fará sentido reaplicar este painel de João Abel Manta no local para onde foi pensado originalmente? Até que ponto esta reposição da intenção original apaga a memória de uma tomada de posição do Estado Novo?

No debate que se seguiu, o público sugeriu que o próprio arquitecto fosse consultado sobre a matéria, sendo ainda discutida a falta de manutenção do jardim. Outras questões surgiram a seguir, destacando-se a discussão em torno dos conceitos de “moderno” e “modernista”, e o debate sobre a pertinência da sua clarificação, preocupação partilhada por alguns investigadores presentes.

____________________________________________________

THE AZULEJOS OF COIMBRA CAMPUS UNIVERSITY


Session overview

More than a description of Coimbra campus university, built between 1941 and 1975, in this AzLab#49, Nuno Rosmaninho sought to promote a reflection on a Estado Novo paradigmatic work, discussing various concepts and, above all, bringing the azulejos (tiles) to the center of a debate on “the place of azulejo in the artistic and ideological discourses of the Estado Novo.”

Explaining what he perceives as “totalitarian monumental classicist” architecture and “modern architecture”, and applying these concepts to this architectural complex, without leaving out the work’s critical reception, Rosmaninho then approached the various art forms of the campus university. He emphasized their overall meaning within a well-defined programme with very specific objectives, expressed in an iconography based on fundamental principles such as the consecration of the University and the country, its universal dimension or even the very idea of Coimbra. As an integral part of this set, the azulejo deserved special importance, with Rosmaninho showing how it is articulated with the architecture, adapting itself, in its plastic, pictorial and chromatic dimension, to the specificities of the places for which it was conceived.

Continuing later and focusing on the azulejos, Nuno Rosmaninho established two typologies: the works designed specifically for precise locations of the new buildings and the use of replicas from the 17th and 18th centuries, to fill gaps in more extensive coverings, in an exercise of preservation and appreciation of the old tile, as can be seen in the College of São Bento.

João Abel Manta’s two works deserved a more detailed analysis, highlighting the fact that the buildings of the Academic Association and Gil Vicente Theater, designed by João Abel Manta (b. 1928) and Alberto José Pessoa (1919-1985), had have been carefully thought out to receive the tile panel allusive to cultural activities and the various panels that portray the evolution of the academic garments. If the buildings reveal a formal break with the campus university, assuming what Rosmaninho defined as a “modern infiltration,” the tiles also constitute a rupture, even by the themes represented, contemporary or evolutionary, rather than stopped in time like the rest of the imaginary – they point ahead, while the Campus University points to the back.

However, the panel on cultural activities, which caused surprise and displeasure, was rejected by the competent authorities on the grounds that it subtracted the impact of the monumental staircase and was therefore applied in the garden where it is still today. To this extent, Nuno Rosmaninho concluded his presentation by launching a topic for debate: will it make sense to reapply this panel of João Abel Manta in the place where it was originally thought? To what extent does this restitution of the original intention erases the memory of the Estado Novo position?

In the following debate, the public proposed that the architect himself be consulted on the subject, and it was also discussed the garden’s lack of maintenance. Other issues emerged with a discussion on the concepts of “modern” and “modernist”, and the debate on the relevance of their clarification, a concern shared by some researchers present.

TURISMO CRIATIVO: CONHECER TERRITÓRIOS COM FOCO NAS EXPERIÊNCIAS

25 de Maio ​​de​ ​2019 ​|​ ​15h00​ ​|​ Escola de Artes e Ofícios de Ovar

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Convidado:
CREATOUR – “Desenvolver Destinos de Turismo Criativo em Cidades de Pequena Dimensão e em Áreas Rurais”

Moderador:
Tânia Guimarães [Câmara Municipal de Ovar (serviço de turismo)]

CREATOUR – “Desenvolver Destinos de Turismo Criativo em Cidades de Pequena Dimensão e em Áreas Rurais” (Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra) é um projecto de investigação multidisciplinar baseado numa abordagem teórico-prática de processos colaborativos. Este projecto visa contribuir para o desenvolvimento de um sector de turismo criativo sustentável, em cidades de pequena dimensão e áreas rurais em quatro regiões de Portugal, designadamente, Norte, Centro, Alentejo e Algarve. + INFO

Neste AzLab, Sílvia Silva e Tiago Castro serão os representantes do CREATUR, destacando os projectos Caldas Creative Tourism com a Associação Destino Caldas, representada por Mariana Calaça e Nicola Henriques; VIC // Ossos do Ofício, com a Aveiro Arts House, representada por Hugo Branco; e Tile Your Visit com Ivana Stevic.

Tânia Guimarães é Técnica de turismo na Câmara Municipal de Ovar desde 2015 (ano de criação do Serviço de Turismo). É licenciada em Turismo, Lazer e Património (2011) e mestre em Lazer, Património e Desenvolvimento (2013), pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Realizou-se os estágios curricular (2013) e profissional (2014) na entidade onde atualmente exerce funções.

____________________________________________________

CREATIVE TOURISM: KNOWING TERRITORIES WITH A FOCUS ON EXPERIENCES


May 25th, 2019 | 15h00 | Escola de Artes e Ofícios de Ovar

Invited speaker:
CREATOUR – “Creative Tourism Destination Development in Small Cities and Rural Areas”

Moderator:
Tânia Guimarães [Câmara Municipal de Ovar (tourism department)]

CREATOUR – “Creative Tourism Destination Development in Small Cities and Rural Areas”  (Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra) is an incubator/demonstration and multidisciplinary research initiative, supporting collaborative research processes. The three-year project aims to connect the cultural /creative and tourism sectors through the development of an integrated research and application approach to catalyzing creative tourism in small cities and rural areas throughout Portugal. + INFO

In this AzLab, Sílvia Silva and Tiago Castro will represent CREATUR, highlighting the Caldas Creative Tourism projects with the Destino Caldas Association, represented by Mariana Calaça and Nicola Henriques; VIC // Ossos do Ofício, with Aveiro Arts House, represented by Hugo Branco; and Tile Your Visit with Ivana Stevic.

Tânia Guimarães is a tourism technician at Ovar City Council since 2015 (the same year that the Tourism Service was created). She holds a degree in Tourism, Leisure and Heritage (2011) and a Master’s Degree in Leisure, Heritage, and Development (2013), from the Faculty of Arts and Humanities of the University of Coimbra. Her curricular (2013) and professional (2014) internships were carried out in the entity where she currently works.