Azulejo & coleccionismo | Azulejo & Collections | #1 22.01.2014

22 de Janeiro de 2014 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 5.2

O azulejo português caracteriza-se pela sua dimensão arquitectónica, na medida em que se relaciona com o espaço onde se encontra aplicado e para o qual foi concebido. Mas caracteriza-se, também, pelo diálogo que estabelece com as manifestações artísticas presentes nesse mesmo espaço que, como a arquitectura, tantas vezes simula. Os muitos exemplares que permanecem in situ, um pouco por todo o país, desde os primeiros exemplos de aplicações, ainda no século XV, até à actualidade, testemunham a riqueza de soluções experimentadas por ladrilhadores, pintores ou encomendadores, e que fazem do azulejo português um património único.

 Retirar qualquer revestimento do espaço em que se integra significa descontextualizá-lo e privá-lo das múltiplas leituras que estiveram na sua origem ou que o enriqueceram ao longo dos tempos. Todavia, nem sempre é possível a preservação destes exemplares in situ e, quando está em risco a perda integral do revestimento, tem-se optado por conservar os azulejos, descontextualizando-os.

 É este dilema, da conservação in situ e da preservação do possível, aliada ao coleccionismo, que a primeira sessão do AzLab pretende discutir. Contamos com a presença de um colecionador, o Eng. Feliciano David, e do director do Museu da Cidade, o Dr. António Miranda.

– – – – –

Fotografia: 6ª Exposição Temporária – Azulejaria. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa, 1947 [© Biblioteca de Arte | Fundação Calouste Gulbenkian]

_____________________________________________________

January 22, 2014 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 5.2

The Portuguese tile is characterized by its architectural dimension, insofar as it relates to the area where it is applied and for which it is designed. But it is also characterized by establishing dialogue with the artistic manifestations present in the same space, such as architecture, which it often simulates. The many copies that remain in situ, all over the country, from the earliest examples of applications in the 15th century to the present, witness the wealth of solutions experienced by tilers, painters or commissioners, and which form the Portuguese tile as a unique heritage.

Removing any covering from a space where it is integrated means decontextualizing and depriving it of the multiple readings and richness that were derived over time. However, it is not always possible to preserve these specimens in situ, and the full loss of the covering is at risk, having opted to keep the tiles, decontextualizing them.

It is this dilemma, in situ conservation and preservation where possible, coupled with the collections, that the first session of AzLab discusses. We have the presence of an collector, Engineer David Feliciano, and the director of the City Museum, Dr. Antonio Miranda.

– – – – –

Photo: 6ª Exposição Temporária – Azulejaria. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa, 1947 [© Biblioteca de Arte | Fundação Calouste Gulbenkian]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s