AZULEJO & APRENDIZAGEM

— Please scroll down for English version — ]

17 de Fevereiro de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

3 perguntas | ao Serviço Educativo do Museu Nacional do Azulejo

1.  O que entendem por educação patrimonial no contexto do MNAz?
Vemo-nos como um ponto de partida para a “consciencialização” do azulejo enquanto património português.

Em termos de educação patrimonial a missão do Museu Nacional do Azulejo assenta na sensibilização das comunidades para a questão da valorização do azulejo, do seu conhecimento e da sua salvaguarda. O Museu assume-se como um instrumento de sensibilização para a importância do azulejo enquanto elemento fundamental da identidade cultural portuguesa. Vemo-nos como um ponto de partida. Enquanto espaço único, privilegiado, para poder conhecer o azulejo português, queremos sensibilizar o visitante a olhar e a compreender o azulejo nos seus espaços de origem, onde está aplicado.

É importante tentar promover a participação, tão abrangente quanto possível, dos vários segmentos de população. Pretende-se, através de um contacto privilegiado junto das instituições que servem as comunidades, promover a participação destas em ações que partem do museu: “O Museu como ponto de partida para conhecer o azulejo do bairro ou da cidade”.


2. Que actividades desenvolvem?

As atividades desenvolvidas em termos mais regulares são as visitas orientadas, associadas a uma experiência prática de oficina de pintura de azulejo. Estas duas atividades base permitem o conhecimento do azulejo português e podem ser realizadas pelos vários públicos a partir dos 4 anos, e em várias línguas. Estas visitas incluem, para além da coleção de azulejos, a abordagem ao espaço que alberga o museu – o Convento da Madre de Deus.

Permitindo outras formas de abordagem e exploração do museu e do azulejo in situ, criaram-se atividades mais lúdicas, tais como peddy papers para famílias, escolas e público em geral, estabelecendo percursos culturais a explorar pela cidade.
Outras atividades permitem a ligação do azulejo com outras artes, tais como o concerto comentado de piano, em que se faz um paralelismo com a música, oficinas de exploração temáticas (mar, animais, as artes do fogo) e atividades destinadas a públicos específicos tais como o público sénior e com deficiência (visual e cognitiva).

A par destas atividades, o museu desenvolve também cursos diversos sobre cerâmica e sobre o azulejo, bem como, noutra área, programas específicos para dias comemorativos em que se privilegia a animação cultural: conferências, concertos, worshops, visitas animadas, dança, entre outros.


3. Quais são os vossos públicos-alvo?
A definição do público-alvo para 2016 está inerente à missão de MNAZ para a sensibilização, tão alargada quanto possível, para o conhecimento e a sequente valorização e salvaguarda do azulejo, nomeadamente do azulejo in situ. Procura-se, assim, a  participação abrangente dos vários segmentos da população.

Temos como objetivo inicial a comunidade local (que entendemos a cidade de Lisboa). Pretende-se, através de um contacto privilegiado junto das instituições que servem as comunidades, promover a participação destas em pelo menos uma a duas atividades relacionadas com o azulejo. Contactamos escolas (do pré escolar ao ensino  universitário), instituições sociais, instituições de apoio ao sénior e de apoio à deficiência, entre outras.

Em termos estratégicos, e porque o Museu Nacional do Azulejo tem vindo cada vez mais a reforçar a sua missão enquanto museu inclusivo, ao alcance de todos, apostamos em instrumentos, recursos e atividades que permitam captar o interesse e o acesso de público com necessidades especiais.

Damos também especial relevo à nossa comunidade local mais próxima, na zona de Xabregas, com características socio económicas específicas, desenvolvendo parcerias com as juntas de freguesia e as escolas da envolvência, bem como, num outro plano, a própria zona oriental de Lisboa.

____________________________________________________

AZULEJO & LEARNING

February 17, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

3 questions | to the Education Department of the National Azulejo Museum

1. What do you understand by heritage education in the context of the MNAz – National Azulejo Museum?
We see ourselves as a starting point for “awareness” of the azulejo whilst a Portuguese heritage. The Museum has the role of call the attention to the azulejo heritage and to its safeguarding, particularly to the Azulejos that remain in their original places: “The Museum as a starting point to know the azulejo of the district or the city”.


2. What are the activities that you develop?

The activities that we developed most frequently are the guided visits (which includes the space that houses the Museum – the convent of Madre de Deus), combined with the practical experience of the azulejo painting workshops. These two promote the learning on Portuguese azulejo and can be done by different age groups and in several languages.

Other forms to approach and to explore the Museum and the azulejo in situ are recreational activities such as peddy papers for families, schools and the general public, establishing cultural tours to explore the city.

Other activities allow for the connection between the azulejo and other arts – such as music – like our commented concert piano. Also, we promote thematic exploration workshops (the sea, the animals, the arts of fire) and activities aimed at specific publics such as the seniors and people with disabilities (visual and cognitive).

Alongside these activities, the Museum also develops several courses on ceramics and on azulejo, and, in another area, specific programs for commemorative days that focuses on cultural events: conferences, concerts, workshops, animated visits, dancing, etc.


3. What are your target publics?

Inherent to the mission of the Museum, the search is for the extensive participation of all segments of the population. In strategic terms, and because the National Azulejo Museum has been increasingly strengthening its mission as an inclusive Museum accessible to all, we are betting on instruments, resources and activities that allow us to capture the interest and access of the public with special needs.

We also give a special attention to our nearest local community, in the area of Xabregas, with specific socio-economic features, by developing partnerships with local institutions.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s