AS TÉCNICAS POR DETRÁS DOS RESULTADOS: USO DA MICROSCOPIA ELECTRÓNICA NO ESTUDO DOS AZULEJOS

[​ ​—​ ​Please​ ​scroll​ ​down​ ​for​ ​English​ ​version​ ​—​ ​]

Resumo

Os riscos da utilização dos meios instrumentais, cujos resultados não podem ser observados cegamente mas comportam uma leitura interpretativa, e a importância da abordagem científica, em que a dúvida metódica, a formulação de hipóteses, o recurso a equipas alargadas de modo a abrangerem as diversas áreas do saber necessárias, e ainda a importância de fazer boas perguntas, constituíram parte da extensa introdução cuidadosamente apresentada por João Manuel Mimoso.

Consciente de estar perante um público maioritariamente constituído por historiadores de arte, o convidado do AzLab#41 continuou a explicar, de forma muito eficaz, por exemplo, o princípio da fluorescência de raio X (FRX ou XRF) e os resultados desta técnica instrumental, mostrando dois painéis de azulejo do Museu Nacional do Azulejo, um dos quais de proveniência desconhecida, mas cuja “impressão espectral” muito semelhante permite avançar com a hipótese de estarmos perante painéis oriundos da mesma oficina.

Seguiu-se a explicação do princípio microscopia electrónica de varrimento (MEV ou SEM) e do SEM como meio de observação através da leitura de várias imagens. João Manuel Mimoso continuou mostrando a utilização do SEM como meio de análise e terminou com o uso do SEM aplicado a três exemplos concretos. O primeiro, ligado ao estudo das técnicas, permitiu perceber a técnica usada por Jorge Colaço na Fábrica Lusitânia. O segundo reportou-se  ao estudo de degradação de azulejos de fachada. O terceiro, e último, incidiu sobre os azulejos do Paço Ducal de Vila Viçosa atribuídos à produção de Antuérpia, comparando dois conjuntos de características visuais distintas que se pensava poderem ter origens em diferentes centros produtores, mas cuja análise material mostrou que, muito possivelmente, foram realizados na mesma oficina e forno.

Seguiu-se, como habitualmente, um período de debate que incidiu sobre questões de equipamentos, preparação de amostras, entre outras questões, e terminou com o anúncio da futura disponibilização de novos recursos a quem quiser candidatar “problemas” que possam ser analisados com as técnicas e equipamentos disponíveis.

____________________________________________________

THE TECHNIQUES BEHIND THE RESULTS: USE OF ELECTRON MICROSCOPY IN THE STUDY OF AZULEJOS


Session overview

The risks of using instrumental means, whose results cannot be blindly observed but carry an interpretive reading, and the importance of the scientific approach, in which methodical doubt, the formulation of hypotheses, the use of extended teams to cover the various areas of knowledge, as well as the importance of asking good questions, were part of the extensive introduction carefully presented by João Manuel Mimoso.

Conscious of being before a public made up, mostly, of art historians, the guest of AzLab#41 continued to explain, very effectively, for example, the principle of X-ray fluorescence ( XRF) and the results of this instrumental technique, by showing two panels of azulejos (tiles) from the National Azulejo Museum, one of which is of unknown origin, but whose very similar “spectral impression” allows us to proceed with the hypothesis of being in front of panels from the same workshop.

This was followed by the scanning electron microscopy (SEM) and of SEM as the means of observation through the reading of several images. João Manuel Mimoso continued to show the use of SEM as a means of analysis and ended with the use of SEM applied to three concrete examples. The first one, linked to the study of techniques, allowed to understand the technique used by Jorge Colaço in the Factory Lusitânia. The second one was about the study of degradation of façade tiles. The third, and last, focused on the tiles of Paço Ducal of Vila Viçosa attributed to the Antwerp production, comparing two sets of distinct visual characteristics that were thought to have origins in different producing centers, but whose material analysis showed that, quite possibly, were carried out in the same workshop.

As usual, there was a period of debate that focused on equipment issues, sample preparation, among other questions, and ended with the announcement of the future availability of new resources to anyone who wants to apply for “problems” that can be analyzed with the techniques and equipment available.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s