CALL FOR PAPERS
AzLab#33 especial
QUEM FAZ O QUÊ: PROCESSOS CRIATIVOS EM AZULEJO


[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Junho de 2017
Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa
Prazo limite: 20 de Março de 2017
Língua oficial: português e inglês

[os resumos podem ser submetidos em ambas as línguas, mas as apresentações serão obrigatoriamente em inglês caso haja participações estrangeiras. Os artigos são publicados apenas em inglês]

[Faça o download da call for papers]

Como é do conhecimento geral, a realização de um revestimento em azulejo implica diversas etapas, que têm início na sua concepção e terminam com a sua aplicação. Neste processo destacam-se vários intervenientes – encomendadores, ladrilhadores, oleiros, pintores ou arquitectos -, onde também se incluem, por exemplo, as olarias e as fábricas.

Estas tarefas nem sempre foram cabalmente entendidas e ainda hoje há dúvidas sobre os limites de acção de cada interveniente. O objectivo do AzLab#33 é analisar o papel das diferentes “autorias” e das inter-relações que as mesmas estabelecem e potenciam, num sentido alargado que permita uma perspectiva contextualizada, tendo ainda em conta as especificidades que caracterizam cada época ou cada ciclo da história do azulejo.

Ainda que não sejam limitados aos itens que se seguem, os temas podem contemplar, numa cronologia que se pretende o mais alargada possível, desde os exemplos mais remotos até à contemporaneidade:

   – Abordagens teóricas sobre o papel dos diversos intervenientes;
   – Abordagens específicas sobre o papel dos intervenientes, com casos
      de estudo;
   – Articulação dos diversos intervenientes na execução
      de uma determinada obra;
   – Novas propostas de autorias e biografias de ladrilhadores, pintores,
       arquitectos, etc.;
   – A organização profissional no interior das oficinas, olarias ou fábricas;
   – O estatuto dos pintores de azulejo, ladrilhadores e oleiros: questões
       de reconhecimento profissional e social.

O AzLab#33 inclui um breve workshop de discussão e definição das designações tradicionais (ladrilhadores vs azulejadores, por ex.), contribuindo assim para um thesaurus de azulejaria, em desenvolvimento pela Rede de Investigação em Azulejo.

Hashtags oficiais: #AzQuemFazOQuê #AzWhoDoesWhat #AzLab #RedeAzulejo

SUBMISSÃO DE RESUMOS:
Aceitam-se propostas entre 900 (mínimo) e 1200 palavras (máximo) para apresentações de 15 minutos, seguidas de debate. Os resumos devem ser enviados para redeazulejo@letras.ulisboa.pt até ao dia 20 de Março de 2017, acompanhadas por uma breve biografia (máximo 300 palavras) e 4 palavras-chave. A selecção das propostas, através do processo de revisão por pares, decorrerá até dia 17 de Abril de 2017 e os participantes serão informados do resultado nessa data. (NOTA: Os artigos para publicação devem ser enviados até  15 de Julho de 2017, de acordo com as normas específicas enviadas aos autores)

Resumo: 900 palavras min. / 1200 palavras máx.
Palavras-chave: 4
Nota biográfica: 300 palavras máx.
Nome e afiliação
Línguas aceites: português e inglês
Formato: word
E-mail de envio: redeazulejo@letras.ulisboa.pt (assunto: AzLab#33)
Comunicações: 15 min.

INSCRIÇÕES
A participação com comunicação e artigo no AzLab#33 é gratuita, mas sujeita a um contributo para o Az Infinitum (http://redeazulejo.letras.ulisboa.pt/pesquisa-az).

Assim, e considerando que a Rede de Investigação em Azulejo acredita numa História da Arte aberta e colaborativa, optou-se por substituir o pagamento de inscrição pelo preenchimento ou complemento de uma ficha biográfica de um dos artistas mencionados na apresentação de cada investigador e que se destina a ser disponibilizada no Az Infinitum. Trata-se, pois, de uma forma de enriquecer este Sistema de Referência e Indexação de Azulejo, e os resultados serão apresentados durante o AzLab#33. Aos investigadores cujos artigos tenham sido seleccionados será enviado um modelo de ficha, de fácil e rápido preenchimento.

DATAS IMPORTANTES:
Submissão de resumos: 20 de Março de 2017
Comunicação de aceitação: 17 de Abril de 2017
Inscrições: 2 de Junho de 2017
AzLab#33: 7 de Junho de 2017
Submissão de artigos: 15 de Julho de 2017
Comunicação de aceitação: 1 de Outubro de 2017

Organização:
Rede de Investigação em Azulejo, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa
Museu Nacional do Azulejo
Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)

Comissão científica:
Alexandre Pais – Museu Nacional do Azulejo (MNAz)
Alexandra Gago da Câmara – Universidade Aberta e Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)
Clara Moura Soares – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Francisco Queiroz – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Luísa Capucho Arruda – Faculdade de Belas-Artes / Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes (CIEBA)
Rosário Salema de Carvalho – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Vítor Serrão – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)

Comissão executiva:
Celso Mangucci – Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)
Inês Leitão – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa  (ARTIS-IHA/FLUL)
Rosário Salema de Carvalho – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)

– – – – –

Imagem: © Inês Leitão
____________________________________________________

CALL FOR PAPERS
AzLab#33 special
WHO DOES WHAT: CREATIVE PROCESSES IN AZULEJO


June 7, 2017
Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa
Deadline: March 20, 2017
Official language: Portuguese and English

[abstracts can be submitted in both languages as well as presentations. However, if there are foreign participants the presentations should be exclusively in english. Articles will be published only in English]

[Download the call for papers]

The creation of a tile covering comprises several stages, from the conception to the application. Several agents stand out during this process – commissioners, tilers, potters, painters or architects – as well as the potteries and the factories, among other elements.

These activities were not always fully understood, and there are still doubts concerning the exact role of each agent. The aim of AzLab#33 is to examine these various “authorships” and the interactions they inspired. We will favour a comprehensive approach, mindful of each work’s historical context and the specific characteristics of each period or cycle comprised in the history of the azulejo.

Subjects may include, but are not limited to the following items (with an unlimited chronological interval, spanning from the most ancient to the most recent examples):

   – Theoretical approaches to the role played by the different agents;
   – Concrete approaches  to the role played by the different agents,
       based on case studies;
   – The interaction between agents during the creation of a tile covering ;
   – Proposals of new authorships and new biographies of tilers, painters,
       architects, etc.;
   – The professional organization of the workshops, potteries, or factories;
   – The status of painters, tilers and potters, as regards their professional
       and social recognition.

AzLab #33 includes a brief workshop dedicated to the discussion and definition of traditional designations (tilers vs. azulejo painters, for example), whose results will contribute to an azulejo-related thesaurus currently being developed by the Azulejo Research Network.

Official hashtag: #AzWhoDoesWhat #AzQuemFazOQuê #AzLab #RedeAzulejo

ABSTRACT SUBMISSION:
This one-day-conference invites proposals of up to 1200 words (minimum of 900 words) for 15 minutes papers, followed by a period of debate. Proposals should be sent to redeazulejo@letras.ulisboa.pt until the 20th of March 2017. Please also attach a brief biographical note (maximum 300 words) and 4 key-words. Selection of proposals will take place until 17th April 2017 and participants will be informed thereafter. (NOTE: Articles for publication must be submitted by July 15, 2017, in accordance with the specific guidelines sent to the authors)

Abstract: 900 words min. / 1200 words max.
Key-words: 4
Biographical note: 300 words max.
Name and affiliation
Official languages: portuguese and english
Format: word
E-mail: redeazulejo@letras.ulisboa.pt (subject: AzLab#33)
Presentations: 15 min.

REGISTRATION
The presentation of a paper at AzLab#33 is free of charge, but dependent on a contribution to Az Infinitum (http://redeazulejo.letras.ulisboa.pt/pesquisa-az).

In line with the Azulejo Research Network’s belief in an open and collaborative Art History, the enrollment fee was replaced by the requirement to create or complete the biographical entry of the artist presented by each lecturer, to be made available at Az Infinitum. This contribution will enrich the Azulejo Reference and Indexation System, and the result will be presented during AzLab#33. The researchers whose articles have been selected will be required to fill a simple biographical form. (NOTE: The organizers will not cover travel and accommodation expenses)

KEY DATES:
Abstract submission deadline: March 20, 2017 

Notification of acceptance: April 17, 2017 
Registration: June 2, 2017 
AzLab#33: June 7, 2017 
Submission of full-paper: July 15, 2017 
Notification of acceptance: October 1, 2017 

Organization:
Rede de Investigação em Azulejo, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa

Museu Nacional do Azulejo
Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)

Scientific Committee:
Alexandre Pais – Museu Nacional do Azulejo (MNAz)

Alexandra Gago da Câmara – Universidade Aberta e Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)
Clara Moura Soares – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Francisco Queiroz – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Luísa Capucho Arruda – Faculdade de Belas-Artes / Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes (CIEBA)
Rosário Salema de Carvalho – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)
Vítor Serrão – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)

Executive Committee:
Celso Mangucci – Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA-UÉ)

Inês Leitão – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa  (ARTIS-IHA/FLUL)
Rosário Salema de Carvalho – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA/FLUL)

– – – – –

Image: © Inês Leitão

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO

[ — Please scroll down for English version — ]

Resumo
Em formato especial e diferente do habitual, o AzLab#23 intitulado José Meco: histórias do azulejo teve como principal objectivo conduzir uma entrevista colaborativa a José Meco. As perguntas, que nos chegaram através das redes sociais, foram lidas pelos dois moderadores, Vítor Serrão e Rosário Salema de Carvalho, e José Meco respondeu ainda a múltiplas questões dirigidas pelo público presente na sala. Estas incidiram sobre aspectos da sua vida mais ligados ao azulejo, sobre o seu trabalho neste âmbito, sobre as memórias que guardou de artistas, historiadores e outras personalidades com quem conviveu, entre muitas outras.

O ponto de partida para um conjunto de histórias e memórias que se desenrolaram ao longo da sessão foram as duas obras escritas por José Meco na década de 1980. Estas obras fundamentais representaram um esforço para reunir e sintetizar, de uma forma acessível, os estudos de azulejaria produzida ou aplicada em Portugal e viriam a tornar-se marcantes para as investigações que lhe sucederam.

O convidado referiu, também, o trabalho que desenvolveu no Museu do Azulejo (hoje MNAz), recordando a configuração das salas e reservas distintas das de hoje, mas falou, sobretudo, no trabalho que realizou no contexto do Museu da Cidade (actual Museu de Lisboa). Para além da emblemática exposição sobre a azulejaria de Lisboa, em 1984, que impulsionou um novo interesse sobre o azulejo português, José Meco referiu ainda o impacto das exposições internacionais que  acompanhou. O convidado relembrou a sua experiência no transporte das obras, montagem de exposições, e sua divulgação e colaborações entre as diversas instituições envolvidas, assinalando o impacto muito positivo de algumas exposições como as ocorridas na Índia, Tóquio e Brasil. Ainda sobre o Brasil notou-se a familiaridade e vastíssimo conhecimento sobre os revestimentos do país com mais conjuntos azulejares fora de Portugal.

Foi ainda sugerido, por Vítor Serrão, que seria de grande utilidade reunir os textos dispersos de José Meco num único volume. A sessão terminou com a resposta a uma última pergunta – que projectos para o futuro – onde manifestou o seu interesse em continuar a poder dedicar-se não só ao estudo da azulejaria mas também ao das artes decorativas em geral, como a talha, e o desejo que os estudos sobre o património avancem e se renovem.

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


Session Overview
In a special setting and different from the usual form, the AzLab#23 entitled José Meco: stories of azulejo had as its main objective to conduct a collaborative interview with José Meco. The questions, that come to us through our social networks, were read by the two moderators, Vítor Serrão and Rosário Salema de Carvalho, and José Meco answered too to multiple questions addressed by the audience in the room. These focused on aspects of his life more connected to the azulejo, about his work in this area, about the memories he has from artists, historians and other personalities with whom he coexisted, among many others.

The starting point for a set of stories and memories that took place during the session were the two works written by José Meco in the 1980s. These fundamental works represent an effort to gather and synthesize, in an accessible way, studies of azulejos produced or applied in Portugal and were to become notable for the investigations that succeeded them.

The guest also mentioned the work he developed at the Museu do Azulejo (Azulejo Museum, today National Azulejo Museum), recalling the configuration of the rooms and the reserves distinct of what they are today, but he spoke mostly of his work at the City Museum (today Lisbon Museum). In addition to the emblematic exhibition on the azulejos of Lisbon, in 1984, that spurred a new interest in the Portuguese azulejo, José Meco also mentioned the impact of the international exhibitions that he accompanied. The guest remember his experience in the transport of the panels of azulejo, in the assembly of the exhibition, and the dissemination and collaboration between the various institutions involved, pointing out the very positive impact of some of the exhibitions such as the ones that took place in India, Tokyo and Brazil. Also in Brazil he noted the familiarity and vast knowledge on the coverings of the country with more sets of azulejo outside of Portugal.

It was suggested by Vítor Serrão that it would be useful to gather the scattered texts by José Meco in a single volume. The session ended with the answer to the final question – what projects for the future – where José Meco expressed his interest in continuing to be able to devote himself not only to the study of azulejos but also to the decorative arts in general, such as gilded woodcarving, and the desire that the studies on heritage move forward and renew themselves.

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO

[ — Please scroll down for English version — ]

ATENÇÃO!
Devido ao número de interessados em assistir a esta sessão do AzLab Especial, este irá decorrer excepcionalmente no Anfiteatro IV.
Entrando pela porta principal da FLUL, depois de atravessar o átrio e subir as escadas, virar à esquerda e seguir até ao fundo do corredor. Aqui virar à direita, percorrer o corredor até passar por portas duplas, após as quais existe uma escada de acesso ao Anfiteatro.

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


ATTENTION!
Due to the number of interested in attending this special session of AzLab, this will be held exceptionally in the Amphitheatre IV.
Enter the main door of FLUL, after crossing the lobby and up the stairs, turn left and follow to the end of the hall. Here turn right, go down the hall to go through a set of double doors, after which there is an access ladder to the Amphitheatre.

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO

11 de Maio de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

Já temos várias perguntas que nos chegaram via fb e blogue. Continuem a usar as nossas redes sociais (facebook, instagram) e o blogue AzLab para fazer perguntas a José Meco. E não faltem no dia 11!

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


May 11,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

We now have several questions that come to us via facebook and blog. Continue to use our social networks (facebook, instagram) and the blogue AzLab to ask questions to José Meco. And don’t missing the AzLab on the 11th!

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO


11
 de Maio de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

O livro “O Azulejo em Portugal” é uma das poucas histórias alargadas sobre a azulejaria portuguesa. Como foi escrever esse livro?

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


May 11,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

The book “O Azulejo em Portugal” is one of the few extended stories about the Portuguese Azulejos. How was it writing this book?

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO

11 de Maio de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

José Meco (n. Oeiras, 13/V/1952) é um dos mais importantes historiadores de arte com obra relevante sobre o Azulejo em Portugal e no Mundo Português. Os seus numerosos trabalhos constituem títulos de referência, não só para quem estuda o Azulejo, mas também sobre as chamadas Artes Decorativas.

É membro da Academia Nacional de Belas-Artes, foi colaborador do Museu da Cidade (1981-1995) e docente na ESAD (Escola Superior de Artes Decorativas – Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva) e no IAO (Instituto de Artes e Ofícios – Universidade Autónoma de Lisboa), tendo orientado vários cursos sobre História da Azulejaria, dentro e fora do país, e participado em diversos cursos e congressos internacionais de História da Arte.

A ele se deve uma visão globalizante da arte do Azulejo como essência cenográfica da arquitectura, e as primeiras investigações relacionando o azulejo de padronagem com as decoração de brutesco, tão típicas da “arte total” portuguesa nos séculos XVII e XVIII.

Entre as suas numerosas obras publicadas, algumas das quais são referência incontornável para os estudos de Azulejaria, destacam-se os livros Azulejaria Portuguesa (Bertrand Editores, 1985) e O Azulejo em Portugal (Publicações Alfa, 1989), além de numerosas monografias sobre os melhores pintores de azulejo da época barroca, como Gabriel del Barco, Manuel dos Santos, António Pereira e os Bernardes, em artigos saídos desde 1979 nas páginas do Boletim Cultural da Assembleia Distrital de Lisboa.

Além disso, José Meco concebeu e realizou grandes exposições de Azulejo em Lisboa, Coimbra, Macau, Milão, Londres, Stuttgart, Chemnitz, Rabat, Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Goa, Bombaim, Bangkok, Hong-Kong, Pequim, Seúl, Sakai, Tóquio, Kagoshima e Hondo.  Proferiu numerosas palestras de divulgação da arte portuguesa, em Portugal e no estrangeiro. Acresce que José Meco tem apoiado várias intervenções de restauro de azulejos, em Lisboa e no Brasil. É membro da Associação Cultural de Oeiras, Espaço e Memória, com funções de vice-presidente. Foi bolseiro da FCT. A sua tese doutoral, em preparação, tem como tema O colorido da pedraria na arquitectura e os embutidos marmóreos entre a Itália Romana e o Portugal barroco (FLUL).

Vítor Serrão ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa |

– – – – –

Foto: © Romeu Bragança

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


May 11,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

José Meco (born in Oeiras, on May 13th, 1952) is one of the most important Art historians with relevant work on Azulejo in Portugal and in the and in the Portuguese-speaking countries. His numerous works are titles of reference, not only to those who study the Azulejo, but also the Decorative Arts.

He is a member of the Academia Nacional de Belas-Artes, he collaborated with the City Museum (1981-1995) and was a teacher at ESAD (School of Decorative Arts – The Foundation Ricardo do Espírito Santo Silva) and at IAO (Instituto de Artes e Ofícios – Universidade Autónoma de Lisboa), having lectured several courses on the History of the Azulejo and participated in several international courses and congresses of History of Art.

To him is due a globalizing vision of art of the Azulejo as a scenography essence of the architecture, and the first investigations relating the pattern azulejo with the brutesco decoration, so typical of Portuguese “total art” of the 17th and 18th centuries.

Among his many published works, some of which are essential references for the studies of the azulejo, we highlight the books Azulejaria Portuguesa (Bertrand Editores, 1985) and O Azulejo em Portugal (Publicações Alfa, 1989), as well as numerous monographs on the best painters of the Baroque era, such as Gabriel del Barco, Manuel dos Santos, António Pereira and the Bernardes.

In addition, José Meco design and implement huge exhibitions on Azulejo in Lisbon, Coimbra, Macau, Milan, London, Stuttgart, Chemnitz, Rabat, Rio de Janeiro, Brasilia, São Paulo, Goa, Mumbai, Bangkok, Hong-Kong, Beijing, Seoul, Sakai, Tokyo, Kagoshima and Hondo. Moreover, José Meco has supported several interventions to restore azulejos in Lisbon and Brazil. He is a member and vice chairman of the Associação Cultural de Oeiras, Espaço e Memória. He was a FCT grant holder. His doctoral thesis in preparation, has as theme O colorido da pedraria na arquitectura e os embutidos marmóreos entre a Itália Romana e o Portugal barroco (FLUL), about the relations between marble inlays in Italy and Portugal.

Vítor Serrão | ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa |

– – – – –

Photo: © Romeu Bragança

JOSÉ MECO: HISTÓRIAS DO AZULEJO

11 de Maio de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

O AzLab#23 tem como convidado uma das mais importantes figuras da história da azulejaria nacional. No que será uma “entrevista colectiva”, José Meco responderá a questões relacionadas com as suas experiências pessoais e profissionais, contando histórias do azulejo.

Use este espaço e as nossas redes sociais (facebookinstagram) para fazer perguntas a José Meco!

Convidados:
José Meco [Escola Superior de Artes Decorativas – FRESS]

Moderador:
Vítor Serrão [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa]

– – – – –

Foto: © Romeu Bragança

____________________________________________________

JOSÉ MECO: STORIES OF AZULEJO


May 11,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

The AzLab#23 has as guest one of the most important figures in the history of Portuguese Azulejo. In what will be a “collective interview”, José Meco will answer questions related with his personal and professional experiences, telling stories of azulejo.

Use this space and our social networks (facebookinstagram) to ask questions to José Meco!

Invited speakers:
José Meco [Escola Superior de Artes Decorativas – FRESS]

Moderator:
Vítor Serrão [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa]

– – – – –

Photo: © Romeu Bragança