AZULEJO E ARQUITECTURA: INTEGRAÇÃO E REPRESENTAÇÃO

13 de Abril de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

Neste artigo publicado na ARTisON, João Miguel Simões aborda as artes decorativas nas escadarias de aparato de Lisboa, começando por destacar a importância do azulejo neste contexto (p. 57-62), assunto que será desenvolvido no AzLab#22.

Referência Bibliográfica:
– SIMÕES, João Miguel. “As artes decorativas nas escadarias de aparato de Lisboa no século XVIII,” in ARTisON. 1 (2015), p. 55-67.

____________________________________________________

AZULEJO AND ARCHITECTURE: INTEGRATION AND REPRESENTATION

April 13, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

In this article published in ARTisON, João Miguel Simões addresses the decorative arts in the apparatus staircases of Lisbon, where he highlights the importance of the azulejo in this context (p. 57-62), subject that will be developed in the AzLab#22.

Bibliographical reference:
– SIMÕES, João Miguel. “As artes decorativas nas escadarias de aparato de Lisboa no século XVIII,” in ARTisON. 1 (2015), p. 55-67.

AZULEJO E ARQUITECTURA: INTEGRAÇÃO E REPRESENTAÇÃO

13 de Abril de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

Convidados:
Maria João Coutinho [Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa]
João Miguel Simões [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderador:
Rosário Salema de Carvalho [Az-Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Maria João Pereira Coutinho
Licenciada em Artes Decorativas Portuguesas, mestre em História da Arte e doutora em História (especialidade em Arte, Património e Restauro). Entre 1998 e 2005 foi docente na ESAD/FRESS e entre 2006 e 2009 foi bolseira de doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (SFRH/BD/22602/2005).  Entre 2010 e Fevereiro de 2012 foi bolseira do projeto “Lisboa em Azulejo antes do Terramoto” (PTDC/EAT-EAT/099160/2008) do Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa, de que é membro integrado. É desde Março de 2013 bolseira de pós-doutoramento (SFRH/BPD/85091/2012): “Pórtico: Estruturas de pedraria em fachadas de igrejas do distrito de Lisboa do domínio Filipino ao Terramoto”. Tem participado em encontros nacionais e estrangeiros de carácter científico, no âmbito da História da Arte e Artes Decorativas.

João Miguel Simões
Licenciado e mestre em História de Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa onde frequenta o curso de doutoramento. Foi historiador no Município de Borba onde publicou diversos estudos sobre o património local. Colaborou com instituições públicas e privadas do Alentejo, Algarve e Lisboa, publicando estudos sobre a arquitectura e história da arte, da economia e da sociedade em contextos locais. É actualmente investigador no Museu de São Roque da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

– – – – –

Design: © Inês Leitão

____________________________________________________

AZULEJO AND ARCHITECTURE: INTEGRATION AND REPRESENTATION

 

April 13, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Invited speakers:
Maria João Coutinho [Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa]
João Miguel Simões [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderator:
Rosário Salema de Carvalho [Az-Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Maria João Pereira Coutinho
Maria João Pereira Coutinho has a degree in Portuguese Decorative Arts, a Masters in History of Art and a PhD in History (specialising in Art, Heritage and Restoration). Between 1998 and 2005 she was a lecturer at ESAD/FRESS and between 2006 and 2009 was a PhD student with a scholarship from the Portuguese Science and Technology Foundation (SFRH/BD/22602/2005). Between 2010 and February 2012 she was a scholarship holder for the project “Lisboa em Azulejo antes do Terramoto” (PTDC/EAT-EAT/099160/2008) at the Institute of Art History, Faculty of Social Sciences and Humanities, Universidade NOVA de Lisboa, where she is an integrated member. Since March 2013 she has been a post-doctoral scholarship holder (SFRH/BPD/85091/2012): “Pórtico: Estruturas de pedraria em fachadas de igrejas do distrito de Lisboa do domínio Filipino ao Terramoto”. She has participated in national and international academic meetings in the area of the History of Art and Decorative Arts.

João Miguel Simões
João Miguel Simões has degree and a Master’s degree in History of Art from the Faculdade de Letras of the Universidade de Lisboa where he now attends the doctoral program. He was an historian in the Borba Municipality where he published several studies about the local heritage. João Simões collaborated with public and private institutions in the Alentejo, Algarve and Lisbon, publishing studies on the architecture and history of art, economics and society in their local contexts. Currently he is a researcher at the São Roque Museum of the Lisbon’s Santa Casa da Misericórdia.

– – – – –

Design: © Inês Leitão

AZULEJO E ARQUITECTURA: INTEGRAÇÃO E REPRESENTAÇÃO

13 de Abril de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

[ — Please scroll down for English version — ]

A estreita relação do azulejo com a arquitectura, entendida enquanto marca distintiva da sua aplicação em Portugal, tem sido um tema discutido nas várias sessões do AzLab. Neste AzLab#22, dedicado ao “Azulejo e arquitectura. Integração e representação”, pretende-se explorar um aspecto específico desta dimensão arquitectónica através dos estudos recentes que João Miguel Simões tem vindo a desenvolver sobre as escadarias de aparato do período barroco, muitas das quais integrando revestimentos cerâmicos.

Por outro lado, interessa também observar a utilização progressiva de elementos da arquitectura,  em particular no período barroco,  quer nos emolduramentos, quer ainda na simulação de imponentes estruturas arquitectónicas fictícias que dialogam com as reais, existentes nos espaços onde os revestimentos são aplicados. É precisamente esta última dimensão que Maria João Coutinho tem analisado nos seus estudos, centrados nos portais barrocos da azulejaria portuguesa.

Partindo destes dois casos de estudo – escadarias de aparato com azulejo e portais simulados em azulejo – o AzLab#22 propõe uma visão da azulejaria barroca explorando esta duplicidade “azulejo na arquitectura” e  “arquitectura no azulejo”.

Convidados:
Maria João Coutinho [Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa]
João Miguel Simões [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderador:
Rosário Salema de Carvalho [Az-Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

– – – – –

Design: © Inês Leitão

____________________________________________________

AZULEJO AND ARCHITECTURE: INTEGRATION AND REPRESENTATION

April 13, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

The close relationship of the azulejo with the architecture, understood as a distinctive feature of its application in Portugal, has been a subject discussed in various sessions of the AzLab seminar. In this AzLab#22, dedicated to “Azulejo and architecture: Integration and representation”, the intention is to explore a specific aspect of this architectural dimension through the recent studies that João Miguel Simões has been developing on the apparatus staircases of the Baroque period, many of which integrating ceramic coverings.

On the other hand, there is also an interest in observing the progressive use of architectural elements, particularly in the Baroque period, both in the frames, but also in the simulation of imposing fictional architectural structures that dialogue with the real ones, existing in spaces where the coverings are applied. It is precisely this last dimension that Maria João Coutinho has analyzed in her studies, focusing on the Baroque portals of the Portuguese Azulejo.

From these two case studies – apparatus staircases with azulejo and simulated portals in azulejo – the AzLab#22 proposes a vision of the Baroque Azulejo exploring this duplicity “azulejo in the architecture” and “architecture in the azulejo”.

Invited speakers:
Maria João Coutinho [Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa]
João Miguel Simões [ARTIS – Insituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderator:
Rosário Salema de Carvalho [Az-Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

– – – – –

Design: © Inês Leitão

TÉCNICAS DE PINTURA EM AZULEJO

— Please scroll down for English version — ]

Resumo
As imagens que hoje publicamos documentam as diferentes fases do AzLab#21. Com uma componente teórica e outra prática, esta sessão,  dedicada às Técnicas de pintura em azulejo, coordenada por Teresa Pinto da Silva, começou com uma breve síntese sobre as diferentes técnicas de conformação e pintura, a que se seguiram múltiplas perguntas, no decorrer das quais se mostraram azulejos, moldes, experiências de cor entre vários outros materiais. Os participantes foram depois convidados a iniciar o workshop com experiências de pintura à mão livre ou estampilha.

____________________________________________________

PAINTING TECHNIQUES IN AZULEJO


Session Overview
The images we published now are a document of the different stages of the AzLab#21. With a theoretical and a practical component, this session dedicated to Painting techniques in azulejo, coordinated by Teresa Pinto da Silva, started with a brief overview of the different conformation techniques and azulejo painting. This was followed by multiple questions in the course of which were shown azulejos, molds, color experiences among various other materials. The participants were then asked to start the workshop with freehand or stencil paint experiences.

TÉCNICAS DE PINTURA EM AZULEJO

[ — Please scroll down for English version — ]

9 de Março de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

Estampilhagem
A estampilhagem é uma técnica semi-industrial, utilizada a partir do século XIX, em que a composição decorativa é aberta num papel de acetato, encerado ou em matrizes metálicas. Estes são colocados sobre o vidrado ainda cru e, com o pincel embebido nas tintas cerâmicas ou óxidos, pincela-se sobre as estampilhas, o que permite transferir o desenho, previamente aberto no papel. A cada cor corresponde uma estampilha diferente.

____________________________________________________

PAINTING TECHNIQUES IN AZULEJO


March 9th,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Stencil
Stencil is a semi-industrial technique, used since the 19th century, wherein the decorative composition is open on a acetate paper, waxed or in metallic molds. These are placed over the still raw glaze-base and, with the brush dipped in paint ceramics and oxides, we paint over the stencil, which allows the transference of the design, previously opened on the paper. Each color corresponds to a different stencil. This procedure is used to paint many azulejos with the same pattern, making it easier to repeat a design. Each azulejo has the number of templates it needs to reproduce the design and colors, which can be intricate and various, and they have to be painted separately but one color can be put on top of another.

TÉCNICAS DE PINTURA EM AZULEJO


— Please scroll down for English version — ]

9 de Março de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

Majólica
O revestimento cerâmico é, tradicionalmente, caracterizado por um vidrado branco opaco, constituído essencialmente por sílica, óxido de chumbo e óxido de estanho, o agente opacificante e ao qual se deve o nome do vidrado – estanífero.  Estes componentes, depois de misturados com água, formam uma suspensão que se vai aplicar em cima da chacota, nome dado ao azulejo depois de cozido (primeira cozedura), constituindo uma camada de pó fino e delicado de tom branco. É sobre este pó que se vai então proceder à decoração cerâmica, utilizando óxidos previamente diluídos em água. A rápida absorção da tinta e a impossibilidade de fazer grandes rectificações durante o processo de pintura pode implicar a marcação prévia do desenho. Este é transferido para a base de vidrado, por meio de um estresido (papel vegetal picado com o motivo decorativo), sobre o qual se passa com uma boneca de pano cheia a carvão. A utilização de óxidos misturados com água permite a pintura fluida, à mão livre. O azulejo está pronto para a segunda e última cozedura que lhe confere as características finais, como o brilho.

– – – – –

Foto: © Teresa Bastos Pinto Silva

____________________________________________________

PAINTING TECHNIQUES IN AZULEJO


March 9th,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Majolica
The ceramic coat is traditionally characterized by an opaque white glaze which consists essentially of silica, lead oxide and tin oxide, and also of the opacifying agent that gives the name to the glaze – stanniferous. These components, after being mixed with water, form a suspension that will be applied on top of azulejo after being fired (first firing), forming a layer of fine and delicate white powder. It is on this dust that the ceramic decoration will be made, using oxides previously diluted in water. The rapid absorption of the ink and the inability to make major adjustments during the painting process, may involve a previously marking the design. Then, the design is transferred to the glazed base through a pouncing (shredded paper plant with the decorative motif) on which is pressed a doll filled with coal. The use of mixed oxides with water allows for a smooth painting, freehand. The azulejo is ready for the second firing that gives it the final characteristics of brightness.

– – – – –

Photo: © Teresa Bastos Pinto Silva

TÉCNICAS DE PINTURA EM AZULEJO


— Please scroll down for English version — ]

9 de Março de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

Aresta
A aresta é uma técnica hispano-mourisca, em que o desenho ou motivo é pressionado sobre o barro cru por meio de um molde de madeira ou metal que deixa salientes relevos ou arestas, evitando a mistura de cores na cozedura.

– – – – –

Foto: © Teresa Bastos Pinto Silva

____________________________________________________

PAINTING TECHNIQUES IN AZULEJO


March 9th,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

“Cuenca”
The “cuenca” is a hispano-moorish technique in which the design or motif is pressed on the unfired clay by means of a wooden or metal mold, leaving protruding reliefs or ridges, preventing color mixing during the fire.

– – – – –

Photo: © Teresa Bastos Pinto Silva