AZULEJO, TALHA E PINTURA MURAL: DIÁLOGOS

9 de Novembro de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 5.2

[ — Please scroll down for English version — ]

Convidados:
Sílvia Ferreira [IHA/FCSH/Universidade NOVA de Lisboa]
Joaquim Inácio Caetano [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderador:
Rosário Salema de Carvalho  [Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Sílvia Ferreira
É Doutora em História na especialidade de Arte, Património e Restauro pela Faculdade de Letras de Lisboa (2009), com uma dissertação dedicada ao tema A Talha Barroca de Lisboa (1670-1720). Os artistas e as obras.

No âmbito dos seus estudos sobre a arte da talha das oficinas de Lisboa tem participado em congressos, colóquios e outros encontros de carácter científico, promovidos no país e no estrangeiro. As suas áreas de interesse científico são a produção artística de talha barroca retabular e o campo mais vasto das interacções entre os vários agentes culturais do Antigo Regime da cidade de Lisboa.

Actualmente é bolseira de pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (SFRH/BPD/101835/2014) com projecto intitulado: Presença, Memória e Diáspora: Destinos da arte da talha em Portugal entre o Liberalismo e a actualidade.

Para além de outras publicações de sua autoria destacam-se as monografias A Talha. Esplendores de um passado ainda presente, (sécs. XVI-XIX), (colecção “A Arte nas Igrejas de Lisboa”), Lisboa, Nova Terra, 2008 e A igreja de Santa Catarina. A talha da capela-mor, Lisboa, Livros Horizonte, 2008.

Joaquim Inácio Caetano
É conservador-restaurador de pintura mural. Formado no antigo Instituto José de Figueiredo e ICCROM – Centre International d’Études pour la Conservation et la Restauration dês Biens Culturels – de Roma, tem vindo desde meados da década de 1980, a desenvolver intensa actividade técnica, teórica e pedagógica no âmbito da pintura mural.

É sócio fundador da empresa Mural da História, onde tem desenvolvido desde 1991 a actividade de conservação e restauro, autor de diversos artigos e comunicações sobre o assunto, bem como do estudo O Marão e as Oficinas de Pintura Mural nos Séculos XV e XVI. Integrou a equipa de restauro, como responsável local pelo grupo estrangeiro, no projecto UNESCO/Japan Trust Fund para o restauro do Mosteiro de Probota na Roménia. Leccionou igualmente em diversas escolas nacionais e internacionais na área da sua especialidade. Colaborou com a DGEMN na elaboração do Inventário Temático de Pintura Mural dos Distritos de Vila Real, Bragança e Évora.

Doutorado em História, especialidade Arte Património e Restauro pelo Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa com o tema Motivos decorativos de estampilha na pintura a fresco dos séculos XV e XVI no Norte de Portugal. Relações entre pintura mural e de cavalete. Desenvolve actualmente investigação de pós-doutoramento na mesma instituição sob o tema O papel decorativo da pintura a fresco dos séculos XV e XVI em Portugal. Relações com os tecidos lavrados.

– – – – –

Foto: © Joaquim Inácio Caetano

____________________________________________________

 

AZULEJO, GILDED WOODCARVING AND MURAL PAINTING: DIALOGUES

 

November 9th, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 5.2

Invited speakers:
Sílvia Ferreira [IHA/FCSH/Universidade NOVA de Lisboa]
Joaquim Inácio Caetano [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderator:
Rosário Salema de Carvalho  [Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Sílvia Ferreira
Sílvia Ferreira has a doctoral degree in Art History, Heritage and Theory of Restoration from the University of Lisbon, School of Letters (2009). In recent years has collaborated on several research projects related to the art of wood carved altarpieces in Portugal, mainly in Lisbon, which included courses, seminars, conferences and publications in Portugal and abroad. She has also participated in several projects in the wider context of religious history, particularly in the context of the history of religious orders and brotherhoods from the Sixteenth to Eighteenth centuries. Presently she has a post-doctoral grant (SFRH/BPD/101835/2014) for the project entitled: Presence, Memory and Diaspora: the fortune of the carving art in Portugal from the nineteenth century to the present hosted by the Institute of Art History/Faculty of Social and Human Sciences/ University NOVA of Lisbon.

Joaquim Inácio Caetano
Joaquim Inácio Caetano is a curator-restorer of mural painting. He is a graduated of the old Institute José de Figueiredo and of ICCROM – Centre International d’Études pour la Conservation et la Restauration dês Biens Culturels – of Rome, and has been developing, since the mid 1980’s, an intense technical, theoretical and pedagogical activity in the context of mural painting.

He is the co-founder of the company Mural da História, where he has been developing, since 1991, the activity of conservation and restoration. He is the author of several articles and communications on the subject, as well as of the study O Marão e as Oficinas de Pintura Mural nos Séculos XV e XVI. He integrated the restoration team, as the local responsible of the foreign group in the project UNESCO/Japan Trust Fund for the restoration of the Probota Monastery in Romania. He also teached in several national and international schools in the area of his specialty. He collaborated with DGEMN in the preparation of the Thematic Inventory of Mural Painting of the Districts of Vila Real, Bragança and Évora.

Joaquim Inácio Caetano has a PhD in History, with a specialty in Art, Heritage and Restoration, by the Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, entitled Motivos decorativos de estampilha na pintura a fresco dos séculos XV e XVI no Norte de Portugal. Relações entre pintura mural e de cavalete. Currently, he is doing research concerning his post-doctoral at the same institution under the theme O papel decorativo da pintura a fresco dos séculos XV e XVI em Portugal. Relações com os tecidos lavrados.

– – – – –

Photo: © Joaquim Inácio Caetano

AZULEJO, TALHA E PINTURA MURAL: DIÁLOGOS

9 de Novembro de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 5.2

[ — Please scroll down for English version — ]

O diálogo que as diversas manifestações artísticas estabelecem entre si pode assumir múltiplas configurações. O AzLab#26 explora esta ideia, tomando como mote o azulejo e a sua relação com a talha dourada e a pintura mural.

Articuladas no mesmo espaço, estas artes constroem uma ideia de totalidade, que passa muitas vezes pela utilização dos mesmos vocabulários decorativos, criando continuidades visuais em suportes distintos. Outras vezes são utilizadas de forma separada, mas mimetizando-se ou simulando-se entre si. É o caso dos designados azulejos fingidos, em pintura mural, ou da talha que os azulejos tantas vezes simulam nas suas molduras ou em soluções de maior impacto.

Estas são algumas das muitas questões em debate no AzLab#26, que conta com a participação dos investigadores Sílvia Ferreira e Joaquim Caetano, ambos com um largo currículo nos estudos da talha e da pintura mural, respectivamente, e que será conduzido por Rosário Salema de Carvalho. Até lá, acompanhe as publicações aqui no blogue, onde mostraremos exemplos destes diálogos e recomendamos algumas leituras que podem ajudar a contextualizar o tema.

Convidados:
Sílvia Ferreira [IHA/FCSH/Universidade NOVA de Lisboa]
Joaquim Inácio Caetano [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderador:
Rosário Salema de Carvalho  [Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

– – – – –

Foto: © Joaquim Inácio Caetano

____________________________________________________

AZULEJO, GILDED WOODCARVING AND MURAL PAINTING: DIALOGUES

November 9th, 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 5.2

The dialogue that the various artistic manifestations establish among themselves can take multiple configurations. The AzLab#26 explores this idea, taking as motto the azulejo and its relationship with gilded woodcarving and mural painting.

Articulated in the same space, these arts build an idea of totality, which often goes by the use of the same decorative vocabularies, creating visual continuities in different supports. Sometimes they are used separately, but mimicking or simulating one another. Such is the case of the designated feigned azulejos, in mural painting, or of the gilded woodcarving that the azulejos so often simulate in their frames or in greater impact solutions.

These are some of the many questions in debate in the AzLab #26, which includes the participation of the researchers Sílvia Ferreira and Joaquim Caetano, both with a broad curriculum in the studies of gilded woodcarving and mural painting, respectively, and will be conducted by Rosário Salema de Carvalho. Until then, you can follow the posts here on the blog, where we will show examples of these dialogues and recommend some readings that can help contextualize the subject.

Invited speakers:
Sílvia Ferreira [IHA/FCSH/Universidade NOVA de Lisboa]
Joaquim Inácio Caetano [ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa]

Moderator:
Rosário Salema de Carvalho  
[Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

– – – – –

Photo: © Joaquim Inácio Caetano

A FOTOGRAFIA NA CONSTRUÇÃO DE UMA “REALIDADE” EM AZULEJO

— Please scroll down for English version — ]

Resumo
José Luís Mingote Calderón iniciou a sua apresentação referindo-se à crescente importância que o azulejo reassumiu no início do século XX, com a aplicação de painéis em locais públicos um pouco por todo o país, numa tendência que se estendeu à primeira metade do século. O investigador cruzou este facto com a ideia de identidade, também relacionada com a recuperação do azulejo a azul e branco, entendido como uma evocação de um período considerado áureo na história da azulejaria nacional – o barroco.

A investigação de Mingote Calderón contemplou mais de 80 lugares e de 800 painéis distribuídos um pouco por todo o território nacional. Os temas estudados, e de acordo com a sua área de investigação – antropologia – e os seus interesses pessoais,  circunscrevem-se às paisagens, monumentos, cenas etnográficas e, em menor medida, aos episódios históricos ou religiosos.

De acordo com o seu estudo, a escolha dos motivos representados nos azulejos devem-se a quatro principais factores: ao nacionalismo, recuperando o ideal de Almeida Garrett; ao turismo; à propaganda turística e política, como exemplificam as imagens exibidas em exposições universais, de que são exemplo a Exposição Universal de Paris de 1900 e a Exposição Ibero-americana de 1929 de Sevilha, em que o pitoresco português difunde um Estado de paz; e aos meios de comunicação de massas.

Explorando a relação entre fotografia e azulejo, Mingote Calderón mostrou que há variadíssimos casos em que a fotografia que serviu de modelo ao painel dista no tempo várias décadas e é usada inúmeras vezes, num repertório de temas com pouca diversidade. Ao longo da sessão, foram apresentados vários exemplos de como as composições podem ser construídas a partir de imagens de fotografias e bilhetes-postais ilustrados.

Na verdade, algumas reflexões do autor apontam para a ideia de uma realidade construída, a começar pela forma como são seleccionados elementos para compor uma cena figurativa, que podem provir de diferentes fotografias, ou pelo modo como os elementos seleccionados podem ser isolados, isto é, perderem o contexto original da fotografia para serem (re)criados em novos contextos construindo, consequentemente, novas realidades. Trata-se de um processo que não deixa de evocar a forma como eram também construídas as composições barrocas no século XVIII.

Abriu-se depois o debate, em que as diversas questões levantadas pela audiência e pela moderadora procuraram clarificar alguns dos temas referidos. Entre estes destacamos as associações entre a propaganda difundida pelo azulejo com conotações religiosas ou as comparações entre as gravuras usadas no barroco e a fotografia no século XX. Por fim José Luís Mingote Calderón referiu que se prevê que a exposição Da Fotografia ao Azulejo inaugure em Dezembro próximo no Museu Nacional de Etnologia, em Lisboa.

____________________________________________________

PHOTOGRAPHY IN A CONSTRUCTION OF A “REALITY” IN AZULEJO


Session Overview
José Luís Mingote Calderón began his presentation by referring to the growing importance reassumed by the azulejo in the early 20th century, with the application of panels in public places all over the country, in a trend that has spread to the first half of the century. The researcher crossed this fact with the idea of identity, also related to the recovery of the blue and white azulejo, understood as an evocation of a golden period  in the national history of azulejo – the baroque.

The research of Mingote Calderón included more than 80 places and 800 panels distributed all over Portugal. The subjects studied, and according to his field of research – anthropology – and his personal interests, are confined to landscapes, monuments, ethnographic scenes and, to a lesser extent, to the historical or religious themes.

According to his research, the choice of motifs represented in the azulejos are due to four major factors: nationalism, recovering the ideal of Almeida Garrett; tourism; the tourist propaganda and politics, as is exemplified by the images displayed on the universal exhibitions (Paris Universal Exhibition – 1900; Ibero-American Exhibition in Seville – 1929) in which the Portuguese picturesque disseminates a State of peace; and to the means of communication for the masses.

Exploring the relationship between photography and the azulejo, Mingote Calderón showed that there are numerous cases where the photograph that served as a model to the panel is distant in time several decades and is used numerous times, in a repertoire of subjects with little diversity. Throughout the session, were presented several examples of how the compositions may be constructed based on photographs and postcards.

In fact, some reflections of the author points to the idea of a constructed reality: some elements selected to compose the figurative scenes may come from different photographs, or the selected elements can be isolated, i.e., losing the original context of the photograph to be (re)created in new contexts, constructing, consequently, new realities. It is a process that evokes the construction of the baroque compositions in the 18th century.

Afterwards, there was a period of debate, in which the various questions raised by the audience and the moderator sought to clarify some of these issues. Among these we highlight the associations between the propaganda disseminated by the azulejo with religious connotations or the comparisons between the engravings used in the baroque and the photography in the 20th century. Lastly José Luís Mingote Calderón said it is expected that the exhibition “From photography to tile” will open next December in the National Museum of Ethnology, in Lisbon.

A FOTOGRAFIA NA CONSTRUÇÃO DE UMA “REALIDADE” EM AZULEJO

____________________________________________________

PHOTOGRAPHY IN A CONSTRUCTION OF A “REALITY” IN AZULEJO

 

ATENÇÃO!
O AzLab#25 – a fotografia na construção de uma “realidade” em azulejo -, no dia 12 de Outubro, decorre excepcionalmente na sala 2.13. COMO CHEGAR: entrando pela porta principal da FLUL, subir as escadas à esquerda (junto ao multibanco) até ao primeiro andar. A sala 2.13 é a primeira porta à direita.

A FOTOGRAFIA NA CONSTRUÇÃO DE UMA “REALIDADE” EM AZULEJO

12 de Outubro de 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.13

— Please scroll down for English version — ]

Algumas imagens que testemunham a relação entre fotografia e azulejo na “construção da realidade”.

____________________________________________________

PHOTOGRAPHY IN A CONSTRUCTION OF A “REALITY” IN AZULEJO


October 12,
 2016 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.13

Some images that bear witness to the relationship between photography and azulejo in the “construction of reality”.