“QUAL É O AZULEJO DA SUA VIDA?”

[ — Please scroll down for English version — ]

Veja as escolhas de quem esteve no AzLab#16:

Alexandra Gago da Câmara, professora universitária
Galeria ou Terraço das Artes do Palácio Fronteira em Lisboa: um verdadeiro elogio ao espírito barroco representando as Artes Liberais e a Poesia numa combinação de escalas, harmonia e proporção envolvendo o visitante/espetador numa atmosfera única e singular da vivência do barroco em Portugal.

Filomena Serra, historiadora de arte
Os azulejos da minha vida são:
1 – Azulejos do jardim do Palácio Fronteira;
2 – Interior da Capela de S. Lourenço em Almancil;
3 – Azulejos de Costa Pinheiro no Mercado do Peixe em Olhão (como azulejo contemporâneo).

Luís Cunha Jorge, arquitecto
Azulejos de padrão “Arte Nova” da chamada Casa Verde em Lagos (fachada); Azulejos da Casa do Cipreste, Raul Lino, 1915, Sintra; Átrio do edifício na Avª Oscar Monteiro de Torres, período Modernista – fábrica Lusitânia presumo, Lisboa.

Maria Rafaela Moreira, aluna de Mestrado em Arte, Património e Teoria do Restauro – FLUL-ARTIS
O azulejo da minha vida é o Grande Panorama de Lisboa, à guarda do MNAz, painel do século XVIII, sou Lisboeta, apaixonada pela minha cidade e por azulejaria, fui voluntária no MNAz, experiência que me deixou a melhor das recordações a todos os títulos.

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


See the choices of those who were at the AzLab#16:

Alexandra Gago da Câmara, college professor
Fronteira Palace Gallery or Terrace of Arts in Lisbon: a real praise for the baroque spirit representing the Liberal Arts and Poetry in a combination of scales, harmony and proportion. It involves the viewer in a unique and singular atmosphere of the baroque experience in Portugal.

Filomena Serra, art historian
The azulejos of my life are:

1 – The azulejos of the Fronteira Palace gardens;
2 – The Chapel of S. Lourenço’s interior, in Almancil;
3 – The azulejos of Costa Pinheiro at the Fish Market of Olhão (as contemporary azulejo).

Luís Cunha Jorge, architect
“Art Nouveau” pattern azulejos of the so-called Verde House in Lagos (façade); the Raul Lino’s azulejos of the Cipreste House, 1915, Sintra; the building lobby in the Oscar Monteiro de Torres Avenue, Modernist period – Lusitânia factory I presume, Lisbon.

Maria Rafaela Moreira, Master’s student in Art, Heritage and Restoration Theory – FLUL-ARTIS
The azulejo of my life is the Great Panorama of Lisbon, in the custody of MNAz, a panel of the 18th century. I’m from Lisbon, in love with my city and with azulejos, I was a volunteer at MNAz, an experience which leave me the best of memories in all respects.

O AzLab#16, dedicado ao azulejo da sua vida, teve como convidados Patrícia Nóbrega, investigadora do Az, Paula André, investigadora do DINÂMIA-CET [ISCTE-IUL], Ana Barata, bibliotecária da Biblioteca de Arte [FCG] e Tiago Matos Silva, antropólogo e investigador do Instituto de História Contemporânea [FCSH-UNL].

Patrícia Nóbrega começou por contextualizar o tema, explicando a iniciativa que deu origem à pergunta “qual é o azulejo da sua vida?”, e cujas respostas foram publicadas durante o mês de Agosto no facebook do Az. Foram mostradas algumas das escolhas dos participantes que incidiram, sobretudo, em exemplos do século XX, talvez pela sua forte presença no exterior e em espaços públicos.

Assumindo a dupla função de convidada e moderadora, Paula André começou por destacar o carácter informal da sessão, convidando a participação da assistência e passando a palavra a Ana Barata. Esta investigadora da história de Lisboa e bibliotecária falou na dificuldade que sentiu em escolher um exemplar de azulejo. Se, inicialmente e por questões afectivas, elegeu os painéis do Miradouro de Santa Luzia, acabou por optar pela intervenção de João Abel Manta na Avenida Calouste Gulbenkian. Esta escolha foi justificada pela sua mudança de opinião em relação à obra em questão, considerando-a, actualmente, como uma das mais bem conseguidas intervenções em espaço público da cidade de Lisboa.

Seguiu-se Tiago Matos Silva, o único dos convidados que não tem contacto directo com arte no decorrer do seu trabalho. Começou por referir que se viu confrontado com uma pergunta com a qual nunca se tinha questionado, tendo também tido alguma dificuldade na escolha, acabando por seleccionar a Estação de Metropolitano do Alto dos Moinhos, pela sua “simplicidade difícil”, onde as representações nos transportam directamente para o caderno de esboços de Júlio Pomar.

Antes de justificar a sua escolha, Paula André voltou a pedir a participação da audiência, motivando uma pequena conversa e a enumeração de algumas escolhas. Seguiu-se a sua apresentação, onde referiu a ligação ao azulejo dos arquitectos Le Corbusier, Walter Gropius e Flávio de Carvalho, antes de passar à justificação do azulejo da sua vida. Paula André escolheu a “casa pequena”, em Campolide, pela memória deste edifício isolado durante a sua infância. Actualmente, esta casa pode ser entendida como um símbolo de resistência ao crescimento urbano, encontrando-se cercada por edifícios de vários andares.

Seguiu-se um período de debate, onde Ana Barata chamou à atenção para o facto do azulejo estar presente em múltiplos aspectos da nossa vida quotidiana e no universo visual e pessoal. Tiago Matos Silva referiu ainda que a hegemonia do azulejo acaba por apagá-lo ao olhar do simples transeunte, sendo que são este tipo de perguntas inesperadas que acabam por renovar a nossa atenção para um aspecto tão presente no dia-a-dia. Já no caso dos estrangeiros que nos visitam, pouco habituados à presença do azulejo, esta arte é algo que os deixa sempre muito impressionados.

Considerando o interesse da pergunta e a possibilidade de reunir outras contribuições, foi pedido à assistência que escolhesse um azulejo da vida e autorizasse a sua publicação no blogue AzLab e no facebook.

____________________________________________________

The AzLab#16, dedicated to the Azulejo of your life, had as guests Patrícia Nóbrega, researcher of the Az, Paula André, researcher of the DINÂMIA-CET [ISCTE-IUL], Ana Barata, librarian of the Art Library [FCG] and Tiago Matos Silva, anthropologist and researcher of the Contemporary History Institute [FCSH-UNL].

Patrícia Nóbrega started by contextualizing the theme in question and explaining the initiative that gave rise to the question “What is the Azulejo of your life?”, whose answers were published on the Az facebook during the month of August. The choices of the participants focused mainly on examples of the 20th century, perhaps by its strong presence on the exterior and in public spaces.

Assuming the dual role of guest and moderator, Paula André started by highlighting the session’s informal character, inviting the public’s participation and asking Ana Barata to begin. This librarian and researcher of Lisbon’s history talked about the difficulty that she felt when having to choose an azulejo panel. If, initially and for emotional questions, she chose the panels of the Santa Luzia’s viewpoint, she eventually selected the intervention of João Abel Manta for the Calouste Gulbenkian Avenue. This choice was justified by her change of opinion regarding the work in question, considering it – currently – , as one of the most accomplished interventions in public spaces in the city of Lisbon.

Ana Barata was followed by Tiago Matos Silva, the only one of the guests who doesn’t have direct contact with art in his everyday work. He began by noting that he was faced with a question to which he hadn’t before thought about, having also had some difficulty in choosing, but eventually selecting the Alto dos Moinhos Underground Station for its “difficult simplicity”, where the representations transport us directly to the sketches notebook of Júlio Pomar.

Prior to justify her choice, Paula André asked again for the public’s participation, motivating a conversation and the enumeration of some choices. This was followed by her presentation, in which she referred the connection of the architects Le Corbusier, Walter Gropius and Flávio de Carvalho to the azulejo, before moving on to the justification of the azulejo of her life. Paula André chose the “small house”, in Campolide, for the memory of this isolated house during her childhood. Today, this house can be understood as a symbol of resistance to urban growth, finding itself surrounded by multi-storey buildings.

There was a brief period of debate during in which Ana Barata drew the attention to the azulejo being a presence in many aspects of our daily lives and in our visual and personal universe. Tiago Matos Silva also said that the hegemony of the azulejo eventually delete it to the look of the simple passerby, and it’s just this unexpected questions that end up renewing our attention to such an aspect so present in our day-to-day lives. In the case of the foreigners who visit us, little accustomed to the presence of the azulejo, this art is something that leaves them always very impressed.

Considering the interest of the question and the opportunity to gather other contributions, it was asked to the public to choose a azulejo of each one’s life and the authorization for its publication on the blog AzLab and on the facebook.

“Qual é o azulejo da sua vida?”

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


ATENÇÃO, MUDÁMOS DE SALA!
A partir da próxima sessão o AzLab passa a decorrer na sala 2.1.
Entrando pela porta principal da FLUL, depois de atravessar o átrio e subir as escadas, virar à direita e seguir até ao fundo do corredor. A sala 2.1 é em frente (do lado esquerdo da secretária).

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

O azulejo da vida de Patrícia Nóbrega é o painel “Sombra Convite”, de Lourdes Castro.

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Under the What’s the azulejo of your life? initiative, Patrícia Nóbrega’s choice was the “Sombra Convite” (shadow invitation) of Lourdes Castro.

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

O azulejo da vida de Tiago Matos Silva é o revestimento da Estação Alto dos Moinhos do Metropolitano de Lisboa, de Júlio Pomar.

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Under the What’s the azulejo of your life? initiative, Tiago Matos Silva’s choice was the Júlio Pomar’s covering of the Alto dos Moinhos Station, of the Lisbon Underground.

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

O azulejo da vida de Ana Barata é o revestimento de João Abel Manta na Avenida Calouste Gulbenkian.

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Under the What’s the azulejo of your life? initiative, Ana Barata’s choice was the João Abel Manta’s covering for the Calouste Gulbenkian Avenue.

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

O azulejo da vida de Paula André é o painel da “casa pequena”.

____________________________________________________

“What is the Azulejo of your life?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Under the What’s the azulejo of your life? initiative, Paula André’s choice was the “small house” panel.

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

Convidados:
Paula André [DINÂMIA-CET /ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa]
Ana Barata [Biblioteca de Arte – Fundação Calouste Gulbenkian]
Tiago Matos Silva [Instituto de História Contemporânea – FCSH/UNL]
Patrícia Nóbrega [Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Paula André
Doutorada em Arquitectura e Urbanismo pelo ISCTE-IUL e mestre em História da Arte pela FCSH/UNL. É professora Auxiliar do Departamento de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE-IUL. Investigadora do DINÂMIA’CET-IUL – Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território. Membro da equipa do projecto de investigação Printed Photography. Image and Propaganda (1934-1974). Tem desenvolvido investigação nas áreas da Teoria e História da Arquitectura e do Urbanismo, da História da Arte, das Cidades e Património e das Digital Humanities, com publicações no Brasil, na Argentina, em Espanha e em Portugal.

Ana Barata
Licenciada em História, variante em História da Arte, pela FSCH/UNL, e mestre em História da Arte Contemporânea, pela mesma Universidade, com a dissertação Lisboa 1860-1930: Realidades, desejos e ficções. Fez o Curso de Especialização em Ciências Documentais na FLUL e a pós-graduação em Gestão Cultural nas Cidades no INDEG/ISCTE. Entre 1990 e 1997 foi bibliotecária na Biblioteca Nacional. Desde Abril de 1997 é bibliotecária na Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian, sendo responsável pelo Núcleo de Referência. É, desde 2005, membro do Standing Committee da Secção de Bibliotecas de Arte da IFLA. Tem publicado e apresentado diversos estudos quer sobre a história do desenvolvimento urbano de Lisboa nos séculos 19 e 20, quer sobre aspectos e obras da colecção documental da Biblioteca de Arte.

Tiago Matos Silva
Licenciado e doutorando em Antropologia Cultural pela Universidade Nova de Lisboa, investigador do Instituto de História Contemporânea (anteriormente do Centro de Estudos de Etnologia Portuguesa e do Centro em Rede de Investigação em Antropologia), docente no Instituto de Formação Bancária. Interessado em questões de Memória, Política, Linguagem, Género,Violência e Trauma. Lisboeta, 39 anos, prosador acidental e maravilhado da arte que pula e avança pelas ruas.

Patrícia Nóbrega
Investigadora, desde Março de 2009, da Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL), onde integrou, entre outros, os projetos “Catalogação de padrões da azulejaria portuguesa”, “Inventário do Património Azulejar do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC)” e “Estudo de proveniências”. É mestre em Museologia pela FCSH-UNL com uma dissertação dedicada ao azulejo enquanto objeto museológico (2013). No âmbito da azulejaria, interessa-se por coleccionismo, proveniências e transferências culturais, tendo publicado, neste contexto, alguns artigos em revistas científicas.

– – – – –

Imagem: © Inês Leitão

____________________________________________________

“WHAT IS THE AZULEJO OF YOUR LIFE?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Invited speakers:
Paula André [DINÂMIA-CET /ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa]
Ana Barata [Biblioteca de Arte – Fundação Calouste Gulbenkian]
Tiago Matos Silva [Instituto de História Contemporânea – FCSH/UNL]
Patrícia Nóbrega [Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL)]

Paula André
Paula André has a PhD in Architecture and Urbanism at ISCTE-IUL and a Master’s degree in History of Art at FCSH/UNL. She is assistant professor in the Department of Architecture and Urbanism at ISCTE-IUL and a researcher at DINÂMIA’CET-IUL – Centre for Socioeconomic and Territorial Studies. She is a member of the research project Printed Photography. Image and Propaganda (1934-1974)
. Her research areas are Theory and History of Architecture and Urbanism, History of Art, Cities and Heritage and Digital Humanities, with publications in Brazil, Argentina, Spain and Portugal.

Ana Barata
Ana Barata has a degree in History, History of Art at FSCH/UNL and a Master’s degree in Contemporary History of Art at the same University, with the dissertation Lisboa 1860-1930: Realidades, desejos e ficções (Lisbon 1860-1930: Realities, desires and fictions). She attended a specialization programme in Documental Sciences at FLUL and a post-graduation in Cultural Management in Cities at INDEG/ISCTE. Between 1990 and 1997 she was a librarian at the National Library. Since April of 1997 she is a librarian at the Art Library of the Calouste Gulbenkian Foundation, being responsible for the Reference Center. Since 2005, she is a member of the Standing Committee of the Section of the IFLA Art Libraries. Ana Barata has been publishing and presenting several studies about the history of urban development of Lisbon in the 19th and 20th centuries, and the aspects and works of the documentary collection of the Art Library.

Tiago Matos Silva
Tiago Matos Silva has a degree in Cultural Anthropology at FSCH/UNL, where he is a PhD student in the same area. He is a researcher of the Contemporary History Institute (before, he was a researcher of the Centre of Portuguese Ethnological Studies and of the Centre for Research in Anthropology), and a professor at The Portuguese Bank Training Institute. He is interested in issues such as Memory, Politics, Language, Gender, Violence and Trauma. Tiago Matos Silva is from Lisbon, age 39, an accidental prose writer and amazed of the art that jumps and moves throughout the streets.    

Patrícia Nóbrega
Researcher at Az – Rede de Investigação em Azulejo (ARTIS-IHA/FLUL) since March of 2009, Patrícia Nóbrega integrated, among others, the projects “Cataloguing Portuguese tile patterns”, “Inventory and study of the tile heritage of the Central Lisbon Hospital Centre (CHLC)” and “Provenances”. She has a Master’s degree in Museology at FCSH-UNL with a dissertation dedicated to azulejo as a museological object (2013). Her research areas are azulejos collections, provenances and cultural transfers, in which context she has authored several articles in scientific journals.

– – – – –

Image: © Inês Leitão

“Qual é o azulejo da sua vida?”

[ — Please scroll down for English version — ]

7 de Outubro de 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | sala 2.1

Reveja os “azulejos da vida” que publicámos durante o mês de Agosto no facebook, agora reunidos em albúm no Pinterest.

– – – – –

Imagem: © Inês Leitão

____________________________________________________

“WHAT IS THE AZULEJO OF YOUR LIFE?”


7 October, 2015 | 18h00 | Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa | room 2.1

Review the “azulejos of your life” that we published during the month of August on facebook, now reunited on an album on Pinterest.

– – – – –

Image: © Inês Leitão